•   Cuba – Havana  ( )

  •   Varadero  (

 

 

 

CUBA – HAVANA

 

 

 

Cuba (1)

Pessoas circulam pelo Parque de los Enamorados, como é chamada a região onde termina o Malecón em Havana Velha; ao fundo, o Castillo de los Tres Santos Reyes Magnos del Morro, com o farol mais antigo de Cuba Andrea Dallevo/UOL

 

 



 

VOCÊ VAI VIAJAR ?

 

NÃO PERCA TEMPO FAZENDO PESQUISAS. 

 

NÓS FAREMOS TODO O ROTEIRO (DIA A DIA) PARA VOCÊ.

 

CONSULTE-NOS: 

 

E-MAIL: contato@consultordeviagens.com

FONE:  (41) 9943-5960.

 



 

 

Cuba é museu de antiguidades a céu aberto 

 

Se costumamos viajar a cidades históricas para visualizar como eram as coisas no passado e aprender um pouco de história, em Havana tem-se a sensação de que voltamos, literalmente, no tempo.

 

A primeira impressão de quem pisa na capital de Cuba é a de estar em um lugar que foi “congelado” e se mantém igual ao que era nos anos 50.

 

Prédios, carros e máquinas antigas por todos os lados fazem da cidade um museu de antiguidades a céu aberto.

 

Não tente associar tudo que já aprendeu sobre o comunismo com aquilo que se vê em Havana, pois dessa forma será difícil tirar alguma conclusão.

 

O regime cubano não está nem um pouco próximo da ideia utópica de todos vivendo de maneira igual, com as mesmas condições e salários.

 

Quem trabalha com turismo, por exemplo, pode ganhar muito mais que o dobro do piso salarial oficial.

 

Muitos cubanos vivem apertados em cortiços mal conservados, mas, mesmo com toda a pobreza, o visitante não verá ninguém passando fome ou vestindo trapos, e isso pode ser observado durante um rápido passeio (durante o dia porque à noite pode ser perigoso!) em Centro Havana.

 

Quando a revolução tomou conta do país em 1959, os que eram mais ricos na época permaneceram com suas moradias e muitos deles as transformaram em hospedarias, conhecidas em Cuba como “casas particulares” –a opção de hospedagem com melhor custo-benefício para turistas que não querem luxo ou que viajam de mochila nas costas.

 

Sob o clima quente e fresco caribenho, que se estende pelo ano inteiro, aproveite para visitar os museus da cidade, que apesar de possuírem infraestrutura mediana e, muitas vezes, uma visão pra lá de nacionalista, são uma ótima oportunidade de desvendar alguns pontos da história da ilha.

 

Depois, percorra a Plaza de Armas, onde, além de poder folhear e comprar livros usados, uma conversa com o vendedor pode lhe render muitas informações sobre a cultura local e a situação política atual de Cuba.

 

Para entender melhor como funciona o sistema comunista da ilha, também vale perguntar aos próprios cubanos: eles vão adorar explicar.

 

Geralmente os mais velhos, que presenciaram a Revolução, são os que mais defendem o comunismo.

 

É corriqueiro surgir alguém simpático para puxar assunto no meio da rua, como quem não quer nada.

 

O principal objetivo da abordagem (se não ficar claro logo no início você certamente irá descobrir no final) é pedir dinheiro, comida, objetos, ou qualquer coisa que o turista estiver disposto a dar.

 

Um olhar atento irá notar que essas pessoas ficam à espreita, esperando encontrar o turista ideal para pedir alguns CUC, a moeda dos estrangeiros.

 

Não é à toa: cada CUC vale para eles um vigésimo do salário mensal.

 

Não se deixe enganar pelos cubanos que inventam os valores dos serviços de acordo com o que acham que você é capaz de pagar.

 

Tente negociar tudo.

 

Eles adoram os brasileiros – dizem que somos irmãos, por causa da personalidade calorosa – e sabem que nossa moeda vale menos, o que pode proporcionar um “descontinho”.

 

E atenção noveleiros: os cubanos conhecem tudo sobre as novelas brasileiras que passam na televisão.

 

Mulheres que viajam sozinhas ou em grupos femininos devem estar preparadas para receberem cantadas e olhares masculinos.

 

Os cubanos não perdem a oportunidade de abordar turistas desavisadas (e até mesmo as avisadas!).

 

Se tiver poucos dias na cidade, inclua no roteiro a Plaza de la Revolución, onde é impossível não sentir a forte energia da revolução comunista na ilha.

 

A praça abriga uma torre de 129 metros em seu centro e de onde se tem a melhor visão do prédio do Ministerio del Interior, com um gigante desenho do líder argentino Che Guevara e a frase “Hasta la Victoria Siempre”.

 

Reserve um dia inteiro para se perder nas ruas de Havana Velha, tomar um sorvete sentado no banco da praça e caminhar pelo Malecón durante o pôr-do-sol.

 

Afinal, a principal atração de Havana é a própria cidade.

 

Permita-se esquecer do tempo, converse com os cubanos, aprenda, discuta política comunista, deixe de lado os preconceitos e simplesmente viva tudo isso.

 

Por mais que não tenha tempo suficiente para entendê-la, senti-la por um dia resultará numa memória de experiências únicas.

 

 

Fonte: uol

 

 

MAIS INFORMAÇÕES:

http://www.consultordeviagens.com

 

 

 

 

VARADERO

 

 

Varadero - Cuba

 

 



 

VOCÊ VAI VIAJAR ?

 

NÃO PERCA TEMPO FAZENDO PESQUISAS. 

 

NÓS FAREMOS TODO O ROTEIRO (DIA A DIA) PARA VOCÊ.

 

CONSULTE-NOS: 

 

E-MAIL: contato@consultordeviagens.com

FONE:  (41) 9943-5960.

 



 

 

Varadero - Praia

De frente para o litoral há quiosques com espreguiçadeiras para alugar. É o lugar perfeito para esquecer da vida

 

Varadero é muito mais do que uma bela praia capitalista dentro de uma Cuba socialista

 

 

Os 22 km de areias branquinhas e sol quente durante todo o ano fazem de Varadero o sonho de quem quer relaxar na praia.

 

As águas calmas e azuladas, com barquinhos a vela colorindo o horizonte, deixam qualquer um tão calmo que o esforço de sair da espreguiçadeira para fazer alguma coisa tem que ser gigante.

 

Mas vamos lá! Varadero também tem muito a oferecer além dessa calmaria toda.

 

De parques a shoppings centers, saltos de paraquedas a passeios de mergulho – opções não faltam para os mais exigentes turistas.

 

É possível aproveitar a praia pela manhã, quando o sol bate mais forte, almoçar num dos restaurantes que beiram a areia, e depois fazer uma escolha diferente por dia.

 

À noite, vale jantar num restaurante com música ao vivo e depois sair para a festa que fizer seu gosto.

 

E, para não esquecer daqueles que costumam perder o horário, estendendo a soneca que era para durar apenas uma tarde: em Varadero há vários estabelecimentos que ficam abertos 24 horas por dia.

 

Localizada na Península de Hicacos, a aproximadamente 140km de Havana, capital de Cuba, Varadero tem atrações, hotéis e restaurantes que fogem ao conceito socialista de simplicidade que pregamos à ilha.

 

Mas não são somente os mais endinheirados que podem se dar ao luxo de passar uns dias nessa terra.

 

Há variedade também para todos os bolsos. Se não puder bancar um dos resorts all-inclusive, pode ficar nos hotéis menores, ao oeste da península, ou mesmo alugar apartamentos voltados para turistas.

 

A cidade tem por volta de 18.000 habitantes, mas recebe, por ano, uma média de 500.000 visitantes.

 

Isso não é à toa, já que é enorme o tamanho da infra-estrutura local voltada diretamente ao turismo.

 

Mas o mito de que Varadero não é para cubanos é, de fato, somente um mito.

 

Muitos residentes de Cuba escolhem a região para passarem a lua-de-mel ou as férias com a família.

 

A diferença está na escolha da hospedagem e dos restaurantes, já que o poder aquisitivo deles é bem menor que o dos canadenses que se concentram por ali.

 

É possível também ter contato com os habitantes locais e a cultura socialista.

 

Como as casas particulares (residências de cubanos que alugam quartos para turistas) e os paladares (refeições servidas e vendidas em moradias de cubanos) são proibidos, pela lei cubana, em áreas de resorts, o convívio com eles pode ser menos intenso.

 

Por outro lado, é dificílimo não acabar conversando com o garçom da praia (que pode ser também um lutador profissional de judô!), a recepcionista do hotel ou mesmo o vendedor do supermercado.

 

Depois de mais de dois dias indo ao mesmo quiosque, pode se preparar que o moço que aluga suas espreguiçadeiras já estará se considerando seu melhor amigo.

 

Não tem jeito, os cubanos são assim, com essa maneira extrovertida e espontânea de ser (para alguns, até demais).

 

À noite, há várias festas e shows com presença de muitos residentes.

 

É outra oportunidade para intercambiar com as pessoas que fazem parte da excêntrica cultura dessa ilha mais que peculiar.

 

A verdade é que se você se permitir sair um pouquinho do circuito luxo-turismo, será impossível não entrar em contato com os simpáticos cubanos.

 

E pasmem: os habitantes de Varadero são muito mais favoráveis ao socialismo do que os de Havana!

 

Mas não se preocupe. Afinal, ninguém vai à Varadero para ficar preocupado.

 

Passe um bom filtro solar, pegue a toalha e aproveite tudo que a cidade tem a oferecer.

 

 

Atualizado em setembro de 2011

 

 

Fonte: uol

 

 

 

SOLICITE MAIS INFORMAÇÕES 

 http://www.consultordeviagens.com