•   Budapeste  ( )

 

 

BUDAPESTE

 

 

Budapeste - Hungria - Ponte sobre o Danúbio

Vista do Danúbio, rio de Budapeste que abriga opções curiosas para quem procura vida noturna alternativa como o A38, casa noturna instalada em um barco ucraniano de 1968 Eduardo Vessoni/UOL

 



 

VOCÊ VAI VIAJAR ?

 

NÃO PERCA TEMPO FAZENDO PESQUISAS. 

 

NÓS FAREMOS TODO O ROTEIRO (DIA A DIA) PARA VOCÊ.

 

CONSULTE-NOS: 

 

E-MAIL: contato@consultordeviagens.com

FONE:  (41) 9943-5960.

 



 

Arquitetura ao longo do Danúbio mostra a riqueza cultural de Budapeste, na Hungria

 

 

Os edifícios de fachadas rendilhadas, ricamente ornamentados com detalhes em mosaicos, arabescos, elementos orientais e grandes figuras humanas pretendendo sustentar as fachadas são a primeira das belas e agradáveis surpresas de Budapeste.

 

A arquitetura revela a história da cidade, deixa evidente a influência da ocupação turco-otomana e mostra toques folclóricos, como buquês de flores e pássaros, num típico exercício do nacionalismo húngaro.

 

Outros edifícios relembram, na grandiosidade dos espaços, a nobreza da cidade que um dia dividiu com Viena a sede do Império Austro-Húngaro.

 

Com um jeitão urbano que lembra Paris, Budapeste ganhou o aspecto atual nos anos 1890, quando muitos dos magníficos edifícios foram construídos, na comemoração do seu 1000º aniversário.

 

Mas tudo isso é pouco, porque a beleza da cidade se espalha por toda parte, ao longo do Danúbio, e de suas belas pontes que unem as duas partes do local: na margem direita, Buda, a colina onde fica o Distrito do Castelo, cheia de história; na esquerda, Pest, a parte plana e mais animada da capital húngara, com muitas lojas, restaurantes, hotéis, teatros e parques.  

 

Budapeste é linda até debaixo de neve, mas é muito mais ‘desfrutável’ no verão.

 

E os 35ºC nem incomodam, porque uma brisa constante ameniza o calor dessa região muito arborizada, repleta de parques e dona de um invejável patrimônio: os balneários de água mineral quente – absolutamente imperdíveis – desfrutados desde os tempos do Império Romano.

 

Praticamente renascida depois da 2ª Guerra Mundial, e tendo ganhado a renovação de seus tempos de glória após o fim do comunismo, a cidade tem oferta cultural permanente, seja em museus ou concertos, ou mesmo na saborosa e calórica culinária, com destaque para os doces e bolos preparados com esmero desde os tempos em que Sissi, a imperatriz, frequentava a cidade.

 

Uma visita a Budapeste exige no mínimo três dias inteiros andando muito.

 

Uma dica para aproveitar ainda mais o destino é, antes da viagem, consultar – ainda que rapidamente – informações históricas da região: as invasões otomanas, os Habsburgos, o Império Austro-Húngaro e os imperadores Franz Joseph I e sua esposa, Sissi porque eles aparecerão com frequência.

 

Leia também sobre a importância do Danúbio, o rio que corta a cidade e foi celebrado na valsa de Strauss.

 

A propósito… o Danúbio não é azul.

 

 

 

Fonte: uol

 

 

MAIS INFORMAÇÕES:

http://www.consultordeviagens.com