•   São Petersburgo  ( )

 

 

SÃO PETERSBURGO

 

 

Sao Petersburgo - Russia - Onde fica.

 

 



 

VOCÊ VAI VIAJAR ?

 

NÃO PERCA TEMPO FAZENDO PESQUISAS. 

 

NÓS FAREMOS TODO O ROTEIRO (DIA A DIA) PARA VOCÊ.

 

CONSULTE-NOS: 

 

E-MAIL: contato@consultordeviagens.com

FONE:  (41) 9943-5960.

 



 

 

Sao Petersburgo - Russi - Estação de Metrô.

                                  Estação de metrô dedicada ao poeta Maiakóvski, em São Petersburgo.

 

 

Antiga capital czarista, São Petersburgo se torna um dos principais e mais elegantes centros culturais do Leste Europeu

 

 

Esqueça a imagem clássica de um brutamontes bebendo vodca com chapéu de pelos no inverno.

 

A ex-capital do Império Russo, São Petersburgo, transpira nobreza e traz à luz um glamour inigualável em todo o mundo.

 

Pelas largas avenidas e canais onde o frio cortante potencializado pelo Rio Neva, que passa 237 dias por ano coberto com gelo, imensidão e requinte nos detalhes das fachadas e por detrás delas.

 

A capital do czarismo russo é tão luxuosa que seus habitantes parecem não achar muita graça nas clássicas Paris e Roma, por exemplo.

 

Herança e uma carga histórica longínqua, assinada por nomes épicos como Catarina ou Pedro, o Grande, fazem da cidade localizada na entrada do Golfo da Finlândia tão ou mais importante que Moscou.

 

Diferentemente da capital russa, a cidade que já se chamou Petrogrado e Leningrado é o berço da sociedade russa, assim como da burguesia que transformou o país.

 

Artistas como o romancista Fiódor Dostoevsky, que nasceu e viveu em São Petersburgo, fazem dela a capital cultural do país por excelência.

 

Mas as coisas começam a fazer sentido quando se descobre o desbunde protagonizado por czares e czarinas.

 

A aura fina e delicada é comprovada na obra-prima de Alexander Sokurov, o “Arca Russa”.

 

No plano-sequência de 90 minutos, o cineasta discorreu sobre vitórias, fracassos e formação de uma civilização em um dos cenários mais pomposos da cidade: o Hermitage.

 

O ex-Palácio de Inverno, que hoje é considerado o maior museu do mundo, consegue remeter quem o visita a uma época em que luxo e grandeza demais nunca eram o suficiente para quem detinha poder sobre 22.400.000 quilômetros quadrados do planeta.

 

Fundada pelo czar Pedro, o Grande em maio de 1703, a cidade serviu de capital do Império Russo por mais de 200 anos.

 

E foi apenas depois da Revolução Russa de 1917 que a capital passou para Moscou.

 

Antes disso acontecer, aqueles que viajavam de Moscou para São Petersburgo levavam 3 dias na estrada.

 

Os russos costumavam dizer que não viajavam, mas viviam no caminho.

 

Pedro teria criado a capital russa em um pântano que teve de ser drenado pelo canais que enfeitam a cidade.

 

Remodelada para seu tricentenário, em 2003, hoje São Petersburgo tenta atrair o máximo de interesse e investimentos provenientes de turistas e empresas do Ocidente.

 

Atualmente São Petersburgo é a segunda maior cidade do país, com cerca de 4,6 milhões de habitantes, e mais 6 milhões vivendo no entorno.

 

Possui cena noturna e de diversão intensa, com compras e restaurantes.

 

É considerada um dos principais centros culturais da Europa, além de ser um importante porto russo no Mar Báltico.

 

O orgulho da cidade se dá também por seu protagonismo na História moderna.

 

Foi em São Petersburgo que o Exército de Hitler acabou derrotado pelos soldados vermelhos.

 

Em meio à neve e ao frio castigante do temível inverno russo, as forças do Eixo caíram definitivamente e aproximaram o momento de declaração sobre o fim da Segunda Guerra.

 

Nomes da história atual, como o primeiro-ministro Vladimir Putin e o presidente Dmitri Medvedev, também iniciaram sua trajetória na cidade no norte do país.

 

Mas nem só de flores vive a metrópole mais elegante do Leste Europeu.

 

Uma das principais famas da cidade diz respeito aos batedores de carteira.

 

Assim como no “Pickpocket”, filme de Robert Bresson inspirado no clássico “Crime e Castigo”, de Fiódor Dostoiévski, turistas menos atentos têm grandes chances de perceber horas depois que foram furtados.

 

Em vias e lugares cheios, como trens e estações de metrô, atenção nunca é demais.

 

Uma vez vítima dos batedores, só resta enfrentar a burocracia russa para prestar queixa.

 

Uma experiência que pode ser torturante, além de consumir um dia inteiro da viagem.

 

Por abrigar palácios em quase todas as suas regiões, São Petersburgo tem construções que tornam-se atração.

 

Czarismo é o espírito de uma época que define, por excelência, a majestosa cidade.

 

Bem servida de bons restaurantes e cafés, a metrópole é detentora de construções que, dada à carga histórica, são tombadas e classificadas patrimônio da Unesco.

 

Para os bon vivants, atrações nunca faltaram.

 

Do café com torta ao balé no teatro, nos moldes imperiais, São Petersburgo é tão suntuosa e romântica quanto Veneza.

 

Mas, talvez, ainda mais charmosa e interessante.

 

Caminhe pela Nevsky livremente e sem destino.

 

Além das muitas surpresas que podem surgir ao longo da rota, é uma boa chance de descobrir antigos palácios, lojas, cafés, estúdios, escritórios, livrarias com mais de 60 anos e o cotidiano na cidade russa.

 

Coma com olhos, mas não toque.

 

Atenção: apesar de tirar fotografias, em tese, ser um direito universal do turista, o melhor é ter cuidado e certificar-se antes de que fotos são permitidas.

 

Apesar de não haver nenhuma placa com símbolo dizendo expressamente que não se pode fotografar (muito provável que estejam escrito somente em russo), o risco de ser multado (como, por exemplo, no metrô) é gigantesco.

 

 

 

Atualizado em Maio de 2010

 

 

 

Fonte: uol

 

 

MAIS INFORMAÇÕES:

http://www.consultordeviagens.com